Um dos maiores desafios para revendedores e profissionais autônomos é calcular o que é lucro. A princípio, essa conta pode parecer simples, mas o problema é que muitos acabam confundindo o que é pessoal e profissional na hora de fazer o cálculo, tornando os resultados imprecisos.

O mesmo acontece com aqueles que acreditam que lucro é a mesma coisa de vendas. Esses casos são ainda piores porque fazem as pessoas acreditarem que estão lucrando mais do que a realidade.

O não-entendimento do que é lucro pode levar, curiosamente, ao seu prejuízo. Isso acontece porque o lucro geralmente é usado para ser reinvestido no crescimento do seu negócio e na sua própria vida ou família. Agora, imagine o problema que você teria em sair gastando mais do que lucrou?

Para evitar qualquer tipo de erro, vamos demonstrar para você como calcular o lucro corretamente. Traremos alguns exemplos e explicaremos os conceitos que servem de base para a fórmula. Vai ter um pouco de matemática, mas descomplicaremos ao longo do texto. Acompanhe!

Separe as despesas pessoais das profissionais

Antes de mais nada, para o cálculo sair perfeito, você não deve misturar suas finanças pessoais e do trabalho como revendedora. O mesmo vale caso trabalhe fora. Cada receita e despesa devem ser organizadas e separadas de acordo com cada fonte.

Por exemplo, se você trabalha para uma empresa em turno integral e é revendedora nas horas vagas, faça duas listas com os ganhos mensais de ambas. Se você ganha R$ 1.500,00 no emprego fixo (fora os descontos) e R$ 2.500,00 como autônoma (já descontando os custos e investimentos), o seu lucro não será de R$ 4.000,00, mas sim de R$ 2.500,00.

Em relação às despesas, o que você gasta com coisas pessoais, para a casa ou para a família não devem entrar no cálculo do lucro. Gastos com água, luz, alimentação, vestuário e tudo que não tiver interferência na revenda não são considerados.

Despesas onipresentes

“Mas e se eu usar o meu telefone pessoal, o fixo e a internet de casa para atender minhas clientes, esses gastos entram como despesas?”

Bem, o ideal é que você tenha um número próprio para as revendas, assim como os planos exclusivos de telefonia e internet. No entanto, caso esteja tudo misturado, não é necessário incluir o valor integral da conta. Em vez disso, pode ser considerada uma porcentagem do seu tempo de uso profissional desses itens.

Por exemplo, se você gasta 100 reais por mês com internet, os 100 não precisam ser colocados no cálculo de lucro como revendedora. Você pode deduzir 30%, 50%, talvez até 70% desse valor de forma proporcional ao que você realmente usa para vender e se relacionar com as clientes.

Para ter uma base mais prática, leve em conta metade do valor como sendo útil para o seu trabalho de revendedora. Portanto, dos 100 reais, coloque 50 no cálculo.

Agora que você sabe da importância de separar o que é pessoal e o que é do trabalho fixo das finanças como revendedora, vamos à parte mais prática deste texto: destrinchar a fórmula do lucro.

Entenda como é feito o cálculo do lucro

O lucro de um negócio pode ser extraído de duas contas. A primeira é a que retira o lucro bruto. Antes de partir, saiba que tomaremos como base o período de um mês de receitas e despesas em todos nossos exemplos, ou seja, vai ser um cálculo de lucro mensal. Confira:

Lucro bruto = receita – custo dos produtos

Suponhamos que a média de preço dos produtos que você revende em um mês seja de R$ 60,00 e que a média dos custos para os adquirir e revender seja de R$ 40,00. Em 30 dias, foram vendidas 200 unidades. Logo:

Receita = 60 x 200 = 12.000

Custos dos produtos = 40 x 200 = 8.000

Lucro bruto = 12.000 – 8.000 = 4.000

A segunda conta é a que retira o lucro líquido, que é, de fato, o lucro real da sua empresa. O cálculo é idêntico ao anterior, a diferença é que a base é o lucro bruto e entram as despesas fixas e variáveis, como transporte, alimentação durante as visitas, telefone, etc. Entenda melhor:

Lucro líquido = lucro bruto – despesas fixas e variáveis

Vamos ao exemplo: seguindo o anterior, sabemos que você conseguiu um lucro bruto de R$ 4.000,00. Agora, deduziremos desse valor suas despesas fixas e variáveis, que resultaram em mais R$ 2.000,00 nesse mês. Dessa forma, a conta ficaria assim:

Lucro líquido = 4.000 – 2.000 = 2.000

Logo, o lucro que você teria como revendedora nesse mês hipotético seria de R$ 2.000,00.

Ainda assim, faltou explicarmos alguns detalhes dos componentes dessa conta. Afinal, nem todos sabem o que deve ser incluído em despesas, nos custos ou o que é a receita. Descobriremos no próximo tópico.

Conheça cada conceito aplicado na conta

Receita

São os ganhos reais que você obtém com o total de vendas dos seus produtos em um mês e sem considerar os custos dessas mercadorias.

Por exemplo, se você vendeu 50 unidades de um perfume A por 150 reais cada, 30 unidades de um kit de cosméticos da marca B por 100 reais cada e 20 unidades do hidratante da marca C por 25 reais cada, sua receita seria a seguinte:

Perfume A: 150 x 50 = 7.500

Kit de cosméticos B: 100 x 30 = 3.000

Hidratante C: 25 x 20 = 500

Receita mensal de R$ 11.000,00

Custos dos produtos

Nessa modalidade de negócio, os custos com produtos são mais simples de elencar. Os revendedores não são os responsáveis pela fabricação dos produtos, portanto, não precisam se preocupar com matéria-prima, impostos ou pagamentos de funcionários.

Os gastos de um revendedor são, basicamente, os de compras dos produtos ou as comissões de vendas das marcas.

Para o nosso exemplo, imaginamos uma comissão de 75% para o Perfume A, 60% para o Kit de cosméticos B e 80% para o Hidratante C. Logo, os custos seriam calculados assim:

Perfume A: 7.500 x 0,75 = 5.625

Kit de cosméticos B: 3.000 x 0,60 = 1.800

Hidratante C: 500 x 0,80 = 400

Custos mensais de produtos de R$ 7.825,00

Lucro bruto de R$ 3.175,00

Despesas fixas e variáveis

As despesas fixas e variáveis são todos os gastos necessários para manter o seu negócio funcionando e captando clientes. Nessa categoria, a depender de cada revendedora, podemos incluir os seguintes itens:

  • Transporte ou combustível
  • Alimentação feita entre as visitas
  • Telefone
  • Internet
  • Marketing – gastos com cartões de contato, anúncios, Facebook etc.
  • O seu salário – Pois é, não pense que o lucro será o seu ganho pessoal. Ao invés disso, defina um valor que você retirará como salário fixo e separe os lucros para guardar e investir novamente no negócio.

Ponto de equilíbrio

O ponto de equilíbrio é o valor total das suas despesas fixas e variáveis. Ele serve como referência para você saber o quanto precisa vender ou gerar de receita para cobrir os seus gastos.

Suponhamos que a soma das suas despesas fixas e variáveis dê R$ 2.300,00. Esse valor é o seu ponto de equilíbrio, seu norte em relação ao que terá que gerar de lucro bruto no mês.

Se seguirmos o exemplo anterior, teríamos um lucro líquido de R$ 875,00. Mas lembre-se de que esse é o lucro do seu negócio, já considerando um suposto salário fixo para você, que está dentro dos R$ 2.300,00 das despesas.

Faturamento

O faturamento é o valor que você recebe pelas vendas em um determinado período. Ele só se diferencia da receita porque toda vez que uma nota é gerada, o valor total é considerado no faturamento.

É o que acontece, por exemplo, quando você faz uma venda parcelada. O valor da parcela entra na receita e o valor total no faturamento.

Como foi visto, o cálculo do lucro em si não é difícil. O que você deve se atentar é em relação aos componentes da conta, como a receita, os custos e as despesas. Dominando cada conceito e contando com o apoio de um aplicativo de gestão financeira e organização das revendas, você não terá mais problemas em entender os lucros do seu negócio.

Então, este post ajudou você a entender melhor o que é lucro? Compartilhe sua opinião com a gente nos comentários!

O que é lucro e como calcular?
5 (100%) 2 votos